ÁREA RESTRITA: BJ CONNECT
 

Novidades

17.09.2018

Como se comportar nos grupos de Whats da escola do seu filho

Compartilhe esta notícia:   
Como se comportar nos grupos de Whats da escola do seu filho

Os grupos de Whatsapp são ótimas ferramentas para aproximação e informação de assuntos, inclusive do que se passa na escola das crianças. Qual o limite dessas informações? Em muitos casos, as conversas pelo aplicativo estão tomando outras proporções: vão de reclamações de professores até alarmes falsos sobre alunos com doenças contagiosas que continuam frequentando as aulas. Conversamos com Daniele Cristina Staskoviam Londero, advogada do Grupo Educacional Bom Jesus, que conta como os pais devem encarar o Whats, de que forma é possível colaborar, sem invadir ou desrespeitar privacidades

  • 1) Qual deve ser a postura da escola com relação aos grupos de Whatsapp dos pais de alunos?
Os grupos de pais, que antes se reuniam na porta da escola dos filhos para a troca de informações, estão sendo gradativamente substituídos pelos grupos do Whatsapp. A escola precisa estar preparada para esse novo formato que, sem dúvida, se trata de uma ferramenta prática e eficaz para a comunicação, mas, ao mesmo tempo, é perigosa se não usada com bom senso e responsabilidade.
Nesse sentido, o Colégio Bom Jesus reconhece a importância dos grupos de Whatsapp de pais para o estreitamento de relações e o compartilhamento de assuntos de interesse geral, mas ressalta que essa ferramenta não dispensa a presença da família na escola, uma vez que os assuntos relacionados aos serviços educacionais devem ser resolvidos com os gestores. O comparecimento dos pais reforça a parceria e contribui diretamente para o melhor desenvolvimento do aluno.

  • 2) Quais as vantagens de ter um grupo para troca de informações entre pais?
Os grupos de Whatsapp de pais possibilitam a comunicação rápida e a efetiva troca de informações, sugestões e combinados a respeito de assuntos gerais de interesse do grupo, assim como a interação entre as famílias.
O aplicativo pode ser utilizado para o esclarecimento de dúvidas sobre as tarefas, avaliações e demais atividades escolares, divulgação de eventos culturais e esportivos, projetos sociais, indicações e trocas de experiências.

  • 3) E quais as desvantagens?
O que se tem percebido com maior frequência nos grupos de pais do Whatsapp é o relato por um integrante ou pela minoria de fatos ou condições que podem vir a causar danos emocionais de difícil reparação, como, por exemplo, a exclusão, a discriminação ou até a exposição do “alvo” perante o grupo. Cita-se o caso do compartilhamento de imagens e fatos distorcidos da realidade em que ocorre um julgamento precipitado e a consequente rotulação do aluno, da família ou do profissional da escola.
A outra desvantagem é que as situações ocorridas no ambiente escolar anteriormente resolvidas nos atendimentos presenciais com a equipe pedagógica agora são compartilhadas no grupo, ultrapassando os limites da escola e gerando muitas vezes situações de constrangimento e conflitos. Os questionamentos e as reclamações das famílias são fundamentais para que a escola possa verificar a necessidade de melhoria nos encaminhamentos mas, quando compartilhados nos grupos de pais, acabam muitas vezes não chegando ao conhecimento da equipe pedagógica.
Uma das dificuldades são as reiteradas tentativas de interferência das famílias por meio de “palpites” e “sugestões” para a resolução das questões que são de competência exclusiva dos profissionais da escola.
A rapidez no repasse/compartilhamento da informação em muitos casos traz consequências desastrosas, pois os danos ocorrem antes mesmo da confirmação pelos membros do grupo da veracidade do fato.

  • 4) Quais devem ser os objetivos e limites desses grupos?
Ao criar um grupo de Whatsapp, é de fundamental importância que todos os integrantes tenham conhecimento da finalidade e das regras para a utilização. Assim, precisam ser definidos os assuntos que poderão ser compartilhados e discutidos e as regras básicas de comportamento e de etiqueta.
Entende-se que esses grupos devam ter como objetivo a troca de assuntos que sejam do interesse de todos e o compartilhamento de informações.
Quanto aos limites, a sugestão é que evitem assuntos polêmicos que possam gerar conflitos e discussões mais acirradas, como política e religião. Os pais não devem esquecer que a intimidade do filho precisa ser preservada. Outro ponto que merece atenção é a questão da ética e do respeito mútuo, evitando comentários desrespeitosos, pejorativos e preconceituosos.
A participação nos grupos deve estar pautada no diálogo, no bom senso e no respeito ao outro.
É necessário lembrar ainda que os pais são modelos de conduta, exercendo influência no comportamento dos filhos, inclusive no que se refere à forma de utilização das ferramentas como o Whatsapp. Assim, é preciso que a utilizem de forma saudável, respeitosa e consciente.

Esse conteúdo foi publicado no Guia dos Pais do G1 Paraná.