ÁREA RESTRITA: BJ CONNECT
 

Novidades

19.11.2018

Jogos são usados como estratégia de ensino

Compartilhe esta notícia:   
Jogos são usados como estratégia de ensino

Os jogos pedagógicos e as atividades lúdicas estão ganhando cada vez mais espaço na inovação das metodologias de ensino e aperfeiçoamento dos processos de aprendizado, principalmente quando o objetivo é o desenvolvimento global do aluno. Mas o que são jogos pedagógicos? “Jogos são brincadeiras organizadas, competitivas ou não, de cunho intelectual ou físico”, conta Andréa Lúcia da Silva, coordenadora de Educação Digital e Editoração do Colégio Bom Jesus. Ela explica que, em jogos físicos ou digitais, a estrutura é a mesma: tem elementos como regras, objetivos, feedback, competição, desafios, interação, enredo e design. “A diferença é que os jogos digitais oferecem uma experiência aprimorada, já que o computador é quem administra as regras e explica os enredos. Além disso, eles ampliam as experiências sensoriais, lidam com um número infinito de conteúdos, podem ser personalizados e aproximam jogadores, colocando-os em um mesmo ambiente virtual, mesmo que fisicamente afastados (jogos on-line)”, completa a coordenadora.

Em sala de aula, os jogos se tornaram excelentes aliados na promoção de desafios, interações e enredos relacionados a determinado conteúdo, gerando envolvimento, motivação, gratificação, criatividade e aprendizagem. Hoje há opções desde a Educação Infantil até o Ensino Médio.

Na Educação Digital, cada jogo é criado respeitando a faixa etária do aluno. O conhecimento de conteúdos prévios, a psicomotricidade e as necessidades específicas de cada fase são levados em consideração. Nos jogos desenvolvidos para a Educação Infantil, por exemplo, todo o conteúdo é narrado, já que os alunos nessa fase estão em sua caminhada de letramento. Crianças e jovens atualmente são consumidores ativos e, por isso, os profissionais de Educação Digital devem se preocupar constantemente com a melhoria da linguagem e das recompensas, o aumento gradativo de desafios, o estímulo à competição e à cooperação em um polimento contínuo.

Avaliação dos pais
Diante de tantas novidades, os pais podem ficar sem referência na hora de avaliar a aplicação dos jogos na escola do seu filho. A coordenadora Andrea dá as seguintes orientações:

  • Esse jogo promove um aprendizado conceitual mais profundo ou limita-se a instigar a memória do jogador por meio de questões e quizes?
  • Esse jogo estimula a persistir quando ocorre o fracasso?
  • Esse jogo está bem calibrado?
  • Esse jogo estimula a curiosidade?
  • Esse jogo aumenta a confiança do jogador? A cada fase, a cada descoberta, o jogador se sente mais preparado para os novos desafios?
Outras dicas para avaliar jogos digitais educacionais:
  • Bons jogos estimulam, instruem e dão feedbacks úteis.
  • Bons jogos não são fáceis demais, gerando tédio ao jogador, nem difíceis demais, a ponto de frustrá-lo.
  • Bons jogos não apenas geram o prazer da recompensa, mas também permeiam a mente do jogador, fazendo com que este busque saber mais do enredo e do conteúdo tratado no jogo.
Jogos e conhecimento
O jogo, como estratégia de ensino e de aprendizagem, favorece a construção do conhecimento, pois oferece ao aluno desafios e o estimula a buscar soluções para as situações que se apresentam durante a atividade, levam ao raciocínio, à troca de ideias e à tomada de decisões. “É uma forma lúdica de aprender que influencia os processos intelectual e cognitivo, bem como as relações sociais e as maneiras de agir diante das coisas”, completa Andrea, que destaca o engajamento e a possibilidade de enriquecer o aprendizado como maiores vantagens da Educação Digital. “Os desafios podem exigir conhecimento de uma ou mais áreas de conhecimento, bem como uma boa dose de coordenação, concentração e persistência”, avalia.

Esse conteúdo foi publicado no Guia dos Pais, do G1 Paraná.