Valores Humanos

21.02.2017

Conheça a Campanha da Fraternidade 2017

Compartilhe esta notícia:   
Conheça a Campanha da Fraternidade 2017
No próximo dia 1.º de março, Quarta-feira de Cinzas, terá início mais uma edição da Campanha da Fraternidade 2017. A ação ocorre em todo o Brasil e envolve, principalmente, a comunidade católica de várias frentes, inclusive a da educação. No Grupo Educacional Bom Jesus, as unidades de ensino promovem atividades com a comunidade acadêmica por meio da FAE Centro Universitário e do Colégio Bom Jesus. Na educação básica, essa iniciativa é organizada pela coordenação de Ensino Religioso e envolve milhares de crianças.

Confira, na entrevista com o coordenador de Ensino Religioso da Instituição, Frei Claudino Gilz, mais detalhes sobre a Campanha e as atividades no Colégio Bom Jesus.

Pergunta 1: A Campanha da Fraternidade (CF) tem sido uma iniciativa histórica e anualmente promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), sempre durante o tempo litúrgico da Quaresma. O objetivo por excelência tem sido o de sensibilizar os cristãos e a sociedade toda à reflexão de certas problemáticas, buscando mudanças e até mesmo possíveis soluções. Escolhe-se, para tanto, um tema e um lema. Por quê?


Frei Claudino: Porque a CNBB julga indispensável educar os cristãos e a sociedade para a vida em fraternidade, à luz da justiça e do amor, preceitos centrais do Cristianismo, assim como das demais Tradições Religiosas. A CNBB considera imprescindível contribuir para a renovação do senso de responsabilidade de todos pelo cuidado da vida, tendo em vista uma sociedade mais justa e solidária e com esperança de um futuro menos traumático para todos.

Pergunta 2: Como ficou definido o tema e o lema da Campanha da Fraternidade de 2017 que em breve será lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil?


Frei Claudino
: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. O lema, “Cultivar e guardar a criação”, é um excerto bíblico do livro do Gênesis, capítulo 2, versículo 15. Vale a pena aqui considerar o que um conjunto de pesquisadores enuncia: “Todos os seres vivos interagem com o ambiente, buscando obter dele tudo o que precisam para sobreviver. No caso dos seres humanos, essa interação está relacionada às mais variadas atividades, tais como: a maneira como ocupa e utiliza os componentes do ambiente para construir habitações; a maneira como obtém alimentos para a sua sobrevivência e manutenção da saúde; a maneira como cria sua cultura e se expressa artisticamente. Nessa interação, muitas vezes o ser humano provoca mudanças que prejudicam o ambiente, que se torna de difícil recuperação. Para manter o equilíbrio dos ecossistemas e, portanto, dos biomas, o ser humano precisa promover ações que não os degradem e os recuperem. Entre as principais consequências da degradação ambiental, temos: a poluição do ar, da água e do solo; a extinção de espécies (pelo abate indiscriminado de animais, pela pesca predatória, pela destruição das florestas, entre outros)” (USBERCO, João [et. al.]. Campanha das ciências – 7.º ano. São Paulo: Saraiva, 2011, p. 16).

Pergunta 3: “Fraternidade” é em princípio um dos conceitos-chave a ser considerado na reflexão sobre o tema da Campanha da Fraternidade. Como entendê-lo melhor?


Frei Claudino
: Fraternidade é uma palavra oriunda do latim frater, que significa “irmão”. Por essa razão, sinaliza para os inúmeros laços de comunhão entre uma pessoa e outra, com base no respeito à dignidade de cada uma, na igualdade de direitos, entre outros. Eis porque fraternidade também pode ser sinônimo de amizade, companheirismo, entreajuda, cuidado e zelo. “Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão”, dizia Benjamin Franklin. “Sonho com o dia em que todos se levantarão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos”, enunciava Nelson Mandela. Já no texto-base da Campanha da Fraternidade promovida em 1974 proclamava-se de certa forma o valor sagrado da vida nas suas mais diversas manifestações pelos seguintes dizeres: “A vida é o dom que mais fortemente ambicionamos e mais desesperadamente defendemos, a partir do próprio instinto de sobrevivência. A vida é o dom que mais devemos respeitar e promover em nossos irmãos. Toma-se aqui a vida nos mais diversos níveis e circunstâncias: a vida da graça, a vida moral, a vida da honra, a vida do nascituro, a vida do enfermo e do velho, a vida do pobre e do faminto, a vida vítima de violência e injustiças… É este o dom que devemos construir e, em muitos casos, reconstruir como modernos samaritanos.”

4. Em linhas gerais, quais são os objetivos mais relevantes que se apresentam à pesquisa e ao ensino em sala de aula a respeito do tema da Campanha da Fraternidade de 2017?


Frei Claudino
: São em princípio dois os objetivos: 1.º) identificar nas aprendizagens sobre o tema dessa Campanha da Fraternidade uma oportunidade de refletir sobre os problemas especificamente relacionados aos biomas brasileiros e à defesa da vida; 2.º) compreender o papel das atuais gerações em relação ao cuidado e à defesa da vida nas suas mais diversas manifestações. É importante compreender que a natureza não é um direito nem uma propriedade humana. Ela é, antes de tudo, um presente divino, pois em cada uma das criaturas pulsa o dom sagrado da vida. O conceito de “natureza” apresenta-se sempre como sinônimo de vida, nas suas mais variadas manifestações. Existe uma grande diferença em olhar a natureza e sentir-se parte integrante dela. Por meio das atividades desenvolvidas nas aulas de Ensino Religioso e de outras disciplinas escolares, vamos procurar, pois, levar os alunos neste ano de 2017 a redescobrirem uma compreensão bastante esquecida: a vida, a natureza e seus biomas são dons sagrados, santuários da presença do Transcendente e, por isso, dignos de cuidado responsável.


GALERIA DE FOTOS