Proposta Pedagógica

05.07.2022

Arte na educação: formação de seres humanos reflexivos, fortes e sensíveis

Compartilhe esta notícia:   
Arte na educação: formação de seres humanos reflexivos, fortes e sensíveis

O contato com as artes desde muito cedo, sejam elas quais forem, possibilita a formação de opinião própria e amplia a autonomia do pensamento, estimulando a reflexão, favorecendo o espírito crítico e tornando os indivíduos mais ativos. Na educação, a finalidade da Arte é propiciar uma relação mais consciente do ser humano com o mundo, contribuindo para a formação de indivíduos mais críticos e criativos, que poderão atuar na transformação da sociedade.

No espaço escolar, o ensino da Arte tem ganhado cada vez mais destaque. Segundo a coordenadora de Arte no Colégio Bom Jesus, Ceres Medeiros, a valorização das expressões artísticas na escola, do conhecimento cultural e do processo criativo exerce um impacto significativo e muito positivo nos alunos. “A Arte como prática social valoriza o processo criativo, a pesquisa e a invenção e propicia o compartilhamento de ideias entre os alunos e os professores. Ao expressarem-se por meio da Arte, os estudantes mostram seus sentimentos e expõem sua personalidade, além de promover sua identidade cultural”, pontua.

Ceres explica que, para proporcionar ao aluno a possibilidade de experimentação, criação e, portanto, reflexão, é importante trabalhar o ensino da Arte de forma interdisciplinar, pois é próprio dessa área a articulação com outras: filosófica, histórica, social e científica. Há ainda alguns conteúdos específicos de artes visuais, dança, música, teatro e artes audiovisuais. “É possível explorar em sala de aula a familiarização com a grande quantidade de materiais, ferramentas, equipamentos e técnicas; o estudo dos materiais e das atitudes adotadas por artistas em seus trabalhos; o desenvolvimento das qualidades pessoais de cada estudante, tais como persistência, paciência e autocrítica; a compreensão das motivações dos artistas e o estudo de suas vidas e suas contribuições para a sociedade.

Google Arts and Culture

No Colégio Bom Jesus de Itajaí (SC), a professora de Arte Juliana Teixeira Lima vem utilizando recursos tecnológicos para trazer o tema de forma atual, interativa e dinâmica aos olhos das crianças. Entre seus alunos, há crianças de 5 e 6 anos de idade (1.º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais). A professora percebe que, nessa faixa etária, unir o aprendizado da arte com o uso da tecnologia e brincadeiras pode ser ainda mais interessante.

Juliana vem usando a plataforma Google Arts and Culture nas aulas. Por exemplo, em uma das atividades de encerramento de ciclo, por meio de um quebra-cabeça on-line, apresentou um dos autorretratos de Van Gogh para as turmas ? ensinando o conteúdo de arte de maneira lúdica. Primeiramente os alunos conheceram o autorretrato por meio da brincadeira no digital; depois o confeccionaram de maneira manual por meio do desenho no papel.

A professora alerta para o fato de que a tecnologia não se desconecta da forma manual de produção, mas a complementa de maneira muito propícia para o aprendizado. “Isso é inovador. Usar aplicativos em sala de aula permite abrir a mente dos alunos em relação à disciplina. Eles percebem que há diversas formas de fazer e entender arte, e não apenas a manual, o que a torna ainda mais atrativa para eles”, observa Juliana.

Para a professora, o ensino da arte contribui para a criação, inserção e ampliação do repertório artístico das crianças, mostrando que a disciplina é tão importante como as outras, e o melhor: aprimora a percepção e a sensibilidade dos alunos. “Percebo que eles conseguem captar a essência lúdica e expressiva da arte quando bem pequenos. E nessas aulas vemos muito o sentido do acolhimento das crianças, a liberdade para expressarem suas ideias sem perder a individualidade”, explica a professora Juliana.

A Arte como disciplina inserida na escola também pode contribuir para a vida adulta. Considerando que, nos primeiros anos do Ensino Fundamental, segundo Juliana, as crianças ainda se permitem ‘ser o que são’. Ou seja, sentem-se mais livres, têm menos vergonha de se expressar. Assim, é interessante estimular a expressão artística nessas faixas etárias. “Aprender o sentido da arte e de alguma maneira expressá-la, como buscamos fazer no colégio, poderá contribuir para trazer segurança individual e coragem de se colocar na vida adulta”, complementa.

Para Ceres, vivenciar a arte na prática proporciona aprendizagem e aperfeiçoamento das habilidades e da própria criação, além de outras habilidades importantes para a vida, como persistência e respeito à diversidade cultural.

AGENDE UMA VISITA